TOPO
  • 04/10
  • 13/07

    Wilfred Minter 

    O futebol é um dos esportes que mais mexe com as emoções dos torcedores. Agora, já imaginou acompanhar uma partida com 15 gols? E o pior de tudo: ver o artilheiro que marcou praticamente metade deles sair derrotado. Essa história maluca aconteceu em 1922, na Copa da Inglaterra, e envolveu os times St. Albans City e Dulwich Hamlet.

     

    A partida aconteceu no dia 22 de novembro de 1922 e foi iniciada às 15h. O Dulwich, de Londres, marcou o primeiro gol, mas não contava com um herói do time adversário: Wilfred Minter. O cara foi lá e virou o jogo, metendo logo 3 gols de uma só vez. Se acabasse por aí, ele já poderia pedir música para o “Fantástico” da época, mas o destino ainda seria cruel com o jogador.

     

    O Dulwich consegui virar novamente a partida, mudando o placar para 5 a 3. Acontece que o St. Albans, que atualmente disputa a 6ª divisão do campeonato inglês, estava disputando a partida com um jogador no lugar do goleiro e precisava contar com o talento de sua única estrela para tentar não levar uma goleda.

     

    Wilfred Minter 

    E Wilfred Minter não se fez de rogado. O cara, que em toda a sua trajetória no clube fez 356 gols em 362 partidas, estava inspirado naquele dia e queria pedir DUAS músicas no “Fantástico”. Para isso, ele foi lá e meteu mais 3 gols, novamente virando a partida para 6 a 5. A história poderia acabar por aí, mas o Dulwich empatou e levou o duelo para a prorrogação.

     

    O jogo acontecia no estádio do Dulwich, que conseguiu mais uma virada no começo da prorrogação, obrigado Wilfred a lutar ainda mais! E não é que ele conseguiu? Empatou de novo, agora em 7 a 7, fazendo o St. Albans tentar segurar esse resultado até o final – caso acabasse assim no tempo extra, outro jogo seria necessário, mas desta vez na casa do St. Albans.

     

    Veja mais curiosidades sobre o mundo dos esportes!

     

    Mas não deu certo… No último minuto, o Dulwich sacramentou a derrota do St. Albans, em uma partida que colocaria Wilfred nos recordes mundiais como o jogador que mais fez gols em uma só partida sem com isso dar a vitória a seu time. Os 4 mil torcedores presentes, a maioria do Dulwich, presenciaram algo inédito e até hoje nunca superado. Ao menos eles também tiveram um artilheiro, já que um jogador chamado Davis fez a metade dos gols de seu time.

     

    Via Mega Curioso.

  • 01/05

    O boxe é a modalidade que mais aparece na tela do cinema, mas não é a que mais arrecada. Entre os esportes que foram temas centrais dos filmes de Hollywood, o campeão de bilheteria só poderia ser o mais popular entre os norte-americanos. Veja o ranking a seguir:

     

    1. Futebol americano

    Filmes: 45 (desde 1975)
    Bilheteria total: US$ 1,5 bilhão
    Segundo os dados de abril de 2017 do site Box Office Mojo, especializado em bilheterias, a bola oval lidera a arrecadação entre os filmes sobre esporte em Hollywood. Em boa parte graças a “Um Sonho Possível”, de 2009, baseado em fatos reais do jogador Michael Oher (atualmente no Carolina Panthers) o mais bem sucedido do gênero: só ele faturou US$ 256 milhões.

     

    2. Boxe

    Filmes: 51 (desde 1976)
    Bilheteria total: US$ 1,4 bilhão
    A série Rocky ficou com todos os lugares do pódio das maiores bilheterias do boxe. Em terceiro lugar, “Rocky, um Lutador” (1976). Em segundo, “Rocky 3” (1982). E em primeiro lugar, “Rocky 4”, de 1985, com faturamento de US$ 127 milhões.

     

    3. Beisebol

    Filmes: 47 (desde 1982)
    Bilheteria total: US$ 1,1 bilhão
    O filme “Uma Equipe Muito Especial”, de 1992, se inspirou na criação da liga feminina de beisebol nos Estados Unidos e é o filme mais bem sucedido sobre o esporte, com arrecadação de US$ 107 milhões. O elenco foi estrelado por Madonna, Geena Davis e Tom Hanks.

     

    4. Basquete

    Filmes: 46 (desde 1982)
    Bilheteria total: US$ 687 milhões
    “Space Jam: O Jogo do Século”, de 1996, reuniu Michael Jordan e a turma do Pernalonga para se tornar o filme de basquete com maior sucesso nas bilheterias: US$ 90 milhões. O segundo lugar é de outro clássico: “Homens Brancos Não Sabem Enterrar”, de 1992, com US$ 76 milhões arrecadados.

     

    5. Hóquei no gelo

    Filmes: 16 (desde 1977)
    Bilheteria total: US$ 389 milhões
    “Desafio no Gelo”, de 2004, conta a história da vitória dos Estados Unidos sobre a favorita União Soviética nos Jogos de Inverno de 1980. Produzido pela Disney, o filme arrecadou US$ 64 milhões e seguiu na liderança da modalidade mesmo depois do sucesso de “O Fada do Dente” (2010), que chegou a US$ 60 milhões.

     

    6. Surfe

    Filmes: 26 (desde 1983)
    Bilheteria total: US$ 222 milhões
    O filme de surfe que mais fez sucesso é uma animação: “Tá Dando Onda”, de 2007, com US$ 58 milhões faturados. “Soul Surfer – Coragem de Viver” (2011) vem logo atrás: a produção conta a história real da surfista norte-americana Bethany Hamilton, que superou a perda de um braço depois de um ataque de tubarão.

     

    Veja mais posts curiosos como esse!

     

    7. Golfe

    Filmes: 10 (desde 1980)
    Bilheteria total: US$ 203 milhões
    “O Jogo da Paixão” (1996), estrelando Kevin Costner e Rene Russo, é o filme sobre golfe de maior bilheteria: US$ 53 milhões.

     

    8. Futebol

    Filmes: 25 (desde 1981)
    Bilheteria total: US$ 188 milhões
    O esporte mais popular do planeta não faz tanto sucesso assim nas telonas. O líder de bilheteria é a comédia “Papai Bate um Bolão” (2005), com Will Ferrell e Robert Duvall: US$ 52 milhões. O clássico “Fuga para a Vitória” (foto), de 1981, com Pelé e Sylvester Stallone, está apenas em sétimo lugar, com US$ 10,8 milhões de arrecadação na época.

     

    Via UOL.

  • 10/11
  • 06/04

    Houve uma época que as maiores estrelas do futebol mundial jogavam na Itália. Com saudade desse tempo, o designer inglês Angelo Trofa fez um exercício de criatividade: em quais clubes os craques de hoje jogariam na Série A dos anos 90? A brincadeira resultou em figurinhas e escolhas bem curiosas, como O Neymar na Fiorentina, veja abaixo:

     

    – NEYMAR (Fiorentina) e MESSI (Internazionale)

    O jogador brasileiro Neymar foi parar na Fiorentina, enquanto o argentino Messi veste a camisa do Inter de Milão. Angelo não explica a escolha pela Viola para o ex-santista, mas lembra que o Inter dos anos 90 estava sempre atrás do melhor do mundo (Ronaldo trocou o Barcelona pelo clube em 1997).

    Neymar 

    – CRISTIANO RONALDO (Brescia) E DAVID LUIZ (Sampdoria)

    O romeno Hagi trocou o Real Madrid pelo Brescia em 1992. A transferência inspirou o designer a colocar Cristiano Ronaldo no time, lembrando ainda que outras estrelas atuaram por lá, como Pirlo, Guardiola e Baggio. O zagueiro brasileiro virou reforço do Sampdoria, equipe que sempre contou com defensores fortes.

     

    Cristiano Ronaldo 

    – LUKAKU (Milan) e DI MARÍA (Atalanta)

    Para o designer, o Milan se destacava por contratar jovens talentos negros, como Vieira, Davids e Kluivert. Assim, Lukaku seria o escolhido agora. No Atalanta, Di María repetiria os passos de Cannigia, carrasco do Brasil na Copa de 90.

    Di María 

    – AGÜERO (Parma) e Özil (Roma)

    O Kun ganhou a camisa do Parma, clube que investiu bastante em argentinos (nomes como Almeyda, Balbo, Crespo, Ortega, Sensini e Verón passaram por lá). Para Özil no Roma, uma pergunta: “Ele seria compatível com o jovem Totti?”

    Agüero 

    Via Brasil Mundial FC.

Página 1 de 3212345...102030...Última »