TOPO
  • 27/09

    Vocês podem até dizer que quem tem um relacionamento à distância não é muito inteligente, afinal, existem milhares de outras pessoas na sua cidade a quem você pode dar carinho, amor e é claro, ter sexo. Mas na cabeça das pessoas que tem um relacionamento à distância, não é assim que funciona. Elas sabem que em breve estarão juntas e juntas, poderão fazer o que querem.

     

    A questão é que geralmente, quem condena esse tipo de relacionamento, sabe que não é capaz de suportar ficar um, dois ou até mais meses sem transar. Então acaba terminando tudo, afinal, a pessoa precisa de atenção e alguém ao seu lado. Ou simplesmente trai, por motivos puramente carnais.

     

    Não estou dizendo que quem não suporta namorar a distância está errado ou certo, como também quem o faz está correto. Vai de cada um. Mas uma coisa é certa: quem namora à distância, quando vê o parceiro, sempre tem o melhor sexo da sua vida.

     

    Você já assistiu Cães de Aluguel? Pois bem, é um filme clássico do Quentin Tarantino. Em sua introdução, os personagens do filme discutem sobre a música da Madonna “Like a Virgin”. Vejam bem o que o Tarantino (que também atua no filme) tem a dizer sobre a música:

     

     

    Tarantino, no filme chamado por Mr. Brown, teoriza “Like a Virgin” da seguinte forma:

     

    Vou dizer para vocês do que se trata “Like a Virgin”. É sobre uma garota que gosta de caras de pau grande. A música toda é uma metáfora sobre paus grandes. “Like a Virgin” não se trata de uma garota que conhece um cara legal. “True Blue” é sobre isso, com certeza. Deixa eu te dizer sobre o que é “Like a Virgin”. É sobre uma garota que transa o tempo todo. Manhã, tarde, noite. Pau, pau, pau, pau, pau, pau! Um dia, ela conhece um cara tipo John Holmes, bem dotado. É como o Charles Bronson em “A Grande Escapada”. Ele está escavando túneis. Pela primeira vez, ela sente o que nunca sentiu: dor, dor. Ele a machuca. Não deveria doer, pois ela já transou muito. Mas quando este cara transa com ela, dói. Dói tanto quanto doeu na primeira vez. A dor a faz lembrar de quando era virgem. Por isso, “Like a Virgin”.

     

    – Mr. Brown.

     

    O que tudo isso tem a ver com namoro à distância? Pois bem, vou contar a vocês. Eu mantenho um relacionamento à distância. Antes disso, eu transava com o cara que eu achasse legal e que parecesse que me daria uma transa boa. Nenhum problema até aí. Comecei a namorar à distância e só via o namorado uma vez por mês. Difícil, muito difícil. Aconteceu que dessa vez, ficamos cerca de três meses sem nos vermos por questões de trabalho e estudos. Enfim, ele veio pra cá e, meus amigos, assim como a Madonna em sua música, eu senti dor como nunca havia sentido antes.

     

    Não sei o que aconteceu, não sei o motivo. A única coisa que sei é que quando senti, quando forçou, quando machucou, eu não consegui. Senti dor como nunca na vida. Foi gostoso? Sim, foi. Toda mulher gosta de um pouco de dor. Dessa vez foi exagerada. Mas eu senti como se estivesse sendo a primeira vez.
    E você, leitora? Já sentiu muita dor assim?

     

    Quer dizer algo, fazer alguma pergunta e manter o anonimato? Então escreva para [email protected].
    Você pode também tirar sua dúvida pelo twitter (@kiruda), não deixe de me seguir.

  • 27/08

    Dois Toques

     

    Kadu

     

    Caramba, que saudade dessa casa paulista com cheiro de garoa e esse arzinho de poluição! Fazia tempos que não nos víamos por essa banda pra um papo maroto, gaiato, sem pretensão, descolado e sacana. Também pudera, minha vida anda uma baita correria e vocês não tem que me desculpar. A culpa é toda minha. Onde já se viu abandonar por quase dois meses esse lar garoante e ficar satisfazendo as vontades escravagistas de um chefe famélico endinheirado?

     

    Sim, mereci levar umas boas porradas!

     

    Mas nem só de serviços passei esses meses. Eu que dedico minha vida sempre prazerosamente laborosa e saborosa ao consumo de substâncias naturais – mais especificamente cevadas e derivados da cana de açúcar – fui traído por um dente maroto que Papai do Céu só mandou pra doer. Ao contrário de dente de pobre, nem pra comer torresmo essa inhaca serve.

     

    Meu siso deu uma inflamada nervosa, infeccionou minha boca inteira, travou minha mandíbula, me deixou internado levando agulhadas feito uma velha no dermatologista e me deu um passaporte sem vergonha pro centro cirúrgico. Cirurgia essa que pretendo realizar hoje.

     

    Provavelmente enquanto você lia esses quatro parágrafos eu estava à mercê de um homem de branco que fazia milagres em minha maravilhosa boca mulamba – sem piadinhas. Ficarei mais tempo sem poder comer torresmo, tomar cerveja, gritar Mengo, chamar o Felipão de burro nem assobiar praquela gatinha que passa aqui em frente de casa já esperando meu sincero elogio. Que fase!

     

    Mas “há males que vem pra bem”, dizia o poeta. E por causa dessa maré bisonha fui obrigado a relaxar e refletir mais sobre a vida e seus porquês – relaxem, não entrei pra igreja. Mas conheci uns caras que fazem um som gospel de altíssima qualidade e que acreditei que vocês fossem gostar. Fala sério, tu realmente acha que vai ficar levando essa vida de cafetão italiano pra sempre?

     

    Tem hora que é bom ser prevenido, tipo zagueiro lento. Na via das dúvidas, se posicione onde o atacante jamais possa te entortar. E hoje, minha zona de conforto é ficar de boa meditando no som dos caras. Eu sei que depois que eu me recuperar existe uma probabilidade animalesca de eu cagar pra tudo isso e fechar uma caixa de Brahma num barzinho aqui perto de casa onde a Bohêmia litrão gelada custa apenas R$4,50 (valeu Menininha*, tamo junto), mas até que minha recuperação seja completa é bom me apegar àquilo que geral diz que se apegou na hora do perrengue e deu certo.

     

    Eu sei que se você freqüenta minha coluna tem 90% de chances de tu ser um macho-alfa barrigudo que grita é campeão com a boca cheia de farofa e a cara lotada de cachaça, mas até mesmo tu, ser repugnante, tem alguém na sua vida que leva a vida com um pouco mais de calma e essa pessoa pode sim curtir a vibe dos caras. E não custa nada dar uma moral emprestando um like pra página dos cidadãos né? Clica aqui logo e faça a vontade Senhor.

     

    Pensem comigo: Os caras fazem músicas pra Deus. Nós estamos bem afastados de Deus. Deus deve ta boladão com a gente. Se a gente pedir uma porção de batata pro Homem, o cara salga só de sacanagem. A última vez que tu levou um papo com o Cara o Brasil devia ser tri. Vez ou outra ele saca tu pensando um monte de bobagem. Então se a gente curtir a página dos caras que vivem pra agradar o Homem que tudo vê, quem sabe lá de cima ele não dá uma moral, multiplica nossa verba, manda mais meninas pros nossos churrascos, reduz o preço da Brahma. Sei lá, eu não sei como isso funciona, mas por via das dúvidas, curtamos… Amém?

     

    Dois Toques a gente sai na cara do gol.

     

    *Menininha é a dona do barzinho que minha galera enche a bufa. Com a cerva a R$4,50 e a porção de torremos pela bacatela de 2 moedas de borda dourada, com 30 contos tu fica doido pagando de patrão. 50 conto tu fecha uma caixa e come torresmo. Tá pouco? Qualquer dia posto uma foto. E quando visitarem o interior do Rio de Janeiro venham à Barra do Piraí beber quase de graça. Um abraço aê pra galera do bar: Tauan, Ana Cristina, Marcinho, Menininha e os bêbados que sempre falam comigo, mas eu não sei o nome.

     

    Não deixem de curtir minha página, o Flagaiato, nem de deixar suas mensagens, críticas e xingamentos (que não sejam dirigidos à minha mamaezita) no email [email protected]. Aproveitem e sigam @flagaiato no twitter.

  • 23/08

    No banco de trás

     

    Olá, pessoas :3 no último sábado aconteceu algo comigo que me inspirou a escrever o texto de hoje. Eu não sou uma pessoa facilmente irritável, mas em alguns momentos fica impossível não revirar os olhos ou não ficar de boca aberta depois de uma “atitude WTF”. Peço que por favor, os garotos leiam com atenção pra não fazer aquela bobagem que pode arruinar a ficada ou o possível relacionamento com a garota que você está pleiteando.

     

    Casal

     

    Todas as meninas tem pelo menos um garoto que quer ficar com ela. O cara quer levar a menina pra sair, impressionar a gatinha e coisa e tal. Acho isso bem bacana, parabéns para os homens que continuam sendo românticos. Mas a questão é a seguinte: você conhece a garota, conversa com ela, achou ela daora quer levar ela no melhor restaurante que você conhece. Rapaz, você é uma beleza. Conversa vai, conversa vem, a menina diz que é vegetariana, você, mesmo que seja um carnívoro de primeira, é compreensivo e ainda diz que admira a forma dela de viver sem carne. Daí você chama a menina pra almoçar com você (num dos melhores restaurantes da cidade), ela aceita porque achou lindo seu convite, você busca a guria, conversam sobre a vida no caminho (nossa, vocês tem tanto em comum! Até formariam um belo casal), as apostas estão do seu lado, os deuses estão do seu lado (“VAI LÁ, GAROTO!!!” – Zeus), sério, cara, a mina ta na sua, dá pra perceber pelo olhar dela, pela forma com que ela fala e se refere a você. Depois de almoçar com ela vai ser só festa, não tem erro, tá tudo perfeito e POW. Você estaciona em frente a melhor, a mais incrível, a mais saborosa, a dona do melhor atendimento e da melhor qualidade, a mais excelente CHURRASCARIA da cidade.

     

    É sério isso, cara? É sério MESMO que você levou a menina vegetariana pra uma churrascaria?

     

    “Não se preocupa, a gente come só a salada”

     

    Na boa, pessoal. Sim, isso aconteceu comigo e foi foda. O encanto acabou NA HORA. Ok, o restaurante vegetariano estava fechado, mas levar pra churrascaria foi apelação. Assim não dá, amigo (existem carnívoros retardados que vão falar “quem mandou não comer carne?”, quanto a isso, o problema é meu, eu não obrigo ninguém a virar vegan e considero esse tipo de gente a mesma coisa que evangélico/ateu fanático que praticamente te enforca se você não concordar com ele).

     

    Então, caras, pra não fazer uma burrada dessa, preste bem atenção nessa dica: você não conhece nenhum restaurante vegan? Todos estão fechados? Dê um jeito na bagunça infernal que está a sua casa e cozinhe pra garota. Sim! Cozinhe. Meninos, vocês não tem noção do quanto mulheres AMAM quando um homem diz que vai cozinhar pra elas. Sério, é tipo quase a poção mágica pra ganhar a garota.

     

    “Mas Kira, eu não sei como cozinhar e comida vegetariana é cara!”

     

    Aqui vai um vídeo de um canal que é o máximo: o Menos de $20. O Chef Ricardo Viola apresenta VÁRIOS pratos incríveis que custam menos de 20 reais pra fazer. E sim, ele tem receitas vegans também. Assistam e vejam como a vida é bela.

     

     

     

    Agora, meus amigos, não tem desculpa.

     

    Procurem ao máximo saber mais sobre a garota que vocês querem impressionar. Eu sei que o encontro também depende dela, mas se foi você que convidou, não deixe a desejar. Mostre que você pode ser o cara tanto na cama como também na cozinha.

     

    Beijinho pra vocês <3  

    Quer dizer algo, fazer alguma pergunta e manter o anonimato? Então escreva para [email protected].
    Você pode também tirar sua dúvida pelo twitter (@kiruda), não deixe de me seguir.

  • 16/08

    No banco de trás

     

    Olá, pessoas, tudo bem? Antes de tudo eu quero pedir desculpas a vocês por não ter postado nesses últimos dias. Aos interessados, vou explicar: meu notebook morreu e precisei comprar outro. E todo aquele atraso de não encontrar um que seja compatível com minhas necessidades no lugar onde eu moro e ter de comprar fora, além da espera de chegar e poder fazer todas as minhas configurações, deu nisso. Então, peço desculpas pra todos pelo incoveniente.

     

    Mas vamos falar de coisa boa, né? Na verdade, hoje, eu vou dar uns toques pra umas garotas que não tem senso do que estão fazendo no primeiro encontro. Quando eu digo “encontro”, não quer dizer que seja uma coisa absurdamente formal, como um jantar à luz de velas num restaurante francês. Estou falando do rapaz que você ficou olhando por vários dias finalmente ter te notado e te chamar pra balada ou pro luau que vai ter com um pessoal maneiro na praia. O que vou dizer aqui é muito simples e a maioria de vocês sabe do que estou falando. A questão é: como broxar o rapaz que te chamou pra sair com atitudes ridículas.

     

    1. Escolha da roupa

     

    Escolhendo roupa

    Pra algumas mulheres, essa é a parte mais difícil. E eu concordo em parte com isso. Enquanto a maioria dos homens pegam a primeira calça e camisa limpas e um sapato que combine, as mulheres passam horas tirando roupa por roupa do armário e jogando em cima da cama, se olhando na frente do espelho com saias, camisas, calças, calçando e tirando sapatos pra saber se fica bom com o vestido e a bolsa, além, é claro, do cabelo que ela vai usar no dia e dos adornos, isso significa mais um milhão de tralhas na cama, desde brincos (que terão pares perdidos na bagunça), pulseiras, colares, anéis e a porra toda.

     

    Tudo isso é desnecessário.

     

    É claro que você pode bagunçar seu quarto inteiro e quando chegar em casa levar aquele choque devido ao caos que você mesma causou. Mas, se acha que pode acontecer de depois do encontro, você por algum acaso desconhecido convidá-lo para entrar e não quer apresentá-lo ao seu eu indeciso na questão “roupas para sair com o garoto lindo que finalmente te convidou”, basta você pensar nas questões óbvias no momento em que você sabe que vai sair: (a) Qual o local? (b) Qual a ocasião? Mais simples que isso, impossível. Quer saber o motivo? A questão do local já vai diminuir um terço das roupas que você precisa tirar do armário. Por exemplo: você não vai pra um luau na praia de calça jeans e botas. Ain, Kira, mas o tempo tá de chuva. Deixe de ser retardada, se o tempo estivesse chuvoso, o luau não aconteceria.

     

    Mas ele te chamou pra casa dele. Aí vem a segunda questão. Quer exemplos? Ele te convidou pra casa dele porque descobriu que vocês torcem para o mesmo time de futebol e nesse dia vai ter a final do campeonato com o time de vocês jogando. A ocasião: Futebol, churrasco, piadas, amigos. Não é preciso pensar muito pra saber que você vai precisar ser uma equilibrista se quiser ir usando um salto de 14 centímetros. Pelo amor de deus. Vá como se você fosse pro estádio de futebol. Subir escadas, descer escadas, muita gente indo e vindo, vontade de ir ao banheiro, sair pra comprar um suco. Não existe pé que aguente em cima de um salto nessa ocasião. O mesmo vale para ir à casa do garoto assistir à final do campeonato. Só que ele te chamou pra ir à casa dele porque vai ter um almoço em família comemorando a exposição dos novos quadros da mãe dele. Entendeu a diferença das ocasiões? Só não é nessa que você vai com um short jeans apertado como se fosse fechado a vácuo nas suas coxas.

     

    Portanto, você só precisa saber duas coisas para eliminar as dúvidas milenares quanto às roupas e os trecos que você vai usar no bendito dia do encontro. Sobre o local e sobre a ocasião.

     

    O que pode broxar o rapaz quanto à dica número 1? Ficar reclamando de dor nos pés porque resolveu ir de escarpin pra um piquenique, ficar surtando à todo momento porque a maresia vai estragar seu cabelo que você levou três horas no salão de beleza pra arrumar pra ir à praia e ficar lembrando ao garoto que você devia ter vindo com outra roupa.

     

    2. Celular tocando

     

    Celular tocando

    Eu não preciso nem informar à você, moça, que um celular tocando num horário incoveniente é irritante. Você já sabe disso. Mas algumas pessoas ou esquecem desse fato ou simplesmente tocam o foda-se pra pessoa que está acompanhando. Veja bem, existe uma pessoa que se você não tiver um bom diálogo com ela explicando que vai sair com um rapaz e que por favor, não incomode, para que quando vocês estejam assistindo um filme e na hora da cena mais importante seu celular toca e a pessoa comece a dialogar com você sobre a hora que você vai chegar em casa. Você já sabe quem, né? Exatamente ela. Mainha. Eu agradeço muito por ter um bom relacionamento com a minha e que tudo lá em casa é bem definido e organizado quanto à privacidade e regras de horário. Então, no dia em que você for sair com o garoto lindo do apartamento na frente do seu, não esqueça de estabelecer com sua mãe um acordo sobre ligações. Ela disse que seu horário de chegar é às 22 horas? Então peça que não ligue até às 22, afinal, enquanto esse horário não chegar, você estará cumprindo a sua parte.

     

    Mas aí no meio do encontro seu celular toca. Não é a sua mamãe, mas é a sua melhor amiga querendo saber como está o seu encontro, que roupa o boy está vestindo, se você está suada, se acha que vai rolar Oba-oba depois e mais um milhão de coisas pra fazer uma ficha completa da ocasião. Nada menos inconveniente. Quer falar sobre o encontro com a amiga mas não vai aguentar esperar até chegar em casa? Diga que vai ao banheiro e ligue de lá fazendo um RESUMO RÁPIDO sobre a situação. Resumo rápido significa nada mais que três minutos. Por favor, não ache que o rapaz vai gostar de ficar esperando e acabar achando que você ficou entalada na privada devido a demora por você estar falando que o xadrez da camisa dele não combinou com a cor da calça.

     

    A mesma coisa vale para SMS e WhatsApp. Vocês estão conversando (ou ao menos tentando) e seu celular vibra a cada 15 segundos por causa da enxurrada de pessoas falando com você ao mesmo tempo sobre o que estão comendo, quantos pokémons capturou, se shorts de renda combina com camisa de flanela e como se escreve papibaquígrafo.

     

    Como broxar o rapaz quanto à dica número 2? Fazê-lo escutar a briga com a sua mãe quando ela grita que você não vai sair no próximo fim de semana e que vai ter uma conversa quando você chegar em casa; enquanto você fala dos detalhes da sua roupa pra fazer inveja à sua amiga no telefone; ou faz questão de deixá-lo a par do assunto engraçado que está ocorrendo no grupo de amigos no seu WhatsApp. Troque de lugar e imagine que ele atende o telefone pra falar com o primo por dez minutos sobre os melhores lances do último jogo do Barcelona.

     

    3. Falta de conteúdo e interesse

     

    Você já parou pra pensar que o garoto que te convidou pode estar empolgadíssimo pra sair com você, talvez até mais do que você está? Então quando vocês estiverem conversando, dê atenção ao que ele está dizendo, porque provavelmente o que ele está querendo te falar é importante pra ele. Se ele está falando intensamente sobre Pokémons, fique interessada, mesmo que você não entenda absolutamente nada sobre o assunto. Lembrando, é claro que se um nerd te chamou pra sair, você devia ter imaginado qual o tipo de coisa sobre qual vocês iriam conversar. Com certeza não é sobre a nova coleção da Chanel.

     

    Da mesma forma que dar atenção ao que o rapaz está falando é importante, mostrar que você tem um mínimo de conteúdo também é. Falar sobre coisas completamente fúteis a todo momento, tentando forçar uma conversa que jamais vai frutificar bons argumentos, ideias ou relevância, não tem sentido algum. Pelo contrário, tente se expressar com teorias criadas por você mesma, ainda que sejam completamente malucas. Isso vai fazer com que a sua conversa seja interessante e com que desperte o interesse nele em descobrir mais sobre você.

     

    Como broxar o rapaz de acordo com a dica número 3? Enquanto ele estiver falando sobre algo importante pra ele, olhar para ele com arrogância, como se estivesse mascando um chiclete inacabável e com uma expressão no rosto como se o mosquito que passou perto de você fosse mil vezes mais importante que o momento de estar com o garoto. Além, é claro, de mostrar pra ele que você é um poço vazio, sem nada a oferecer, nem nenhum assunto interessante para ser explorado.

     

    Então, meninas, espero que vocês tenham entendido o que eu quis dizer com tudo isso. Lembrando que não vale apenas para elas, afinal, existem alguns homens que insistem em broxar a mulher com quem estão saindo quanto às dicas 2 e 3. Portanto, pessoas, tentem ter um mínimo de coerência, de saber o que fazer para não acabar deixando aquele climão constrangedor depois do encontro antes tão sonhado.

     

    Beijinhos pra vocês <3  

    Quer dizer algo, fazer alguma pergunta e manter o anonimato? Então escreva para [email protected].
    Você pode também tirar sua dúvida pelo twitter (@kiruda), não deixe de me seguir.

  • 25/07

    No banco de trás

     

    Olá, pessoas lindas :3 Hoje eu estava realmente inspirada para escrever esse post, afinal, quem não tem aquela vontade de fazer amor de uma maneira diferente? Seja incluindo alguma coisa, ou com um certo tipo de pessoa com um determinado estereótipo. E realizar o fetiche é muito bom, né? Então eu listei quatro fetiches que fazem as pessoas pirarem. Leiam o texto e não se esqueçam do share gostosinho <3

     

    1. Red hair

     

    Menina

     

    Vamos falar antes de tudo de um fetiche que está na moda, né? Hahaha. Não sei se vocês notaram o quanto as ruivas estão em alta no mercado. Homem querendo transar com ruiva é o que não falta. Lembro que há dez anos atrás, estar pegando uma loira era luxo, hoje, até ser amigo de ruiva é sinônimo de causar inveja. Mas vamos lá, eu não vou mentir pra vocês: elas são lindas mesmo (ao menos boa parte). E sim, não vou esconder que tenho vontade de tirar a roupa de uma sardenta e ficar admirando seu corpo delicado quase feito de cera. Ruivas geralmente não são magrinhas esqueléticas, elas tem aquela cintura e seios “rechonchudos” (o que não quer dizer gorda, vejam bem), macios e gostosos de apertar. Uma delícia. Merecem ser fetiche mesmo, não só de homens, né?

     

    2. Tanquinho

     

    Tanquinho

     

    Aaah, os garotos de academia (isso foi um suspiro gostoso). Vou dizer a verdade pra vocês: até alguns meses atrás, eu não sentia tesão NENHUM em homem musculoso. Pra mim, homem que vivia na academia era sinônimo de burrice, de futilidade. Vocês vão concordar comigo. Realmente tem homem que pira mesmo (não são todos), que quer ter o corpo do Terminator de um dia pro outro e só fica falando disso 24 horas. Pois é, eu pensava que todo cara de academia era igual… Até um me pegar de jeito. Ele não tinha só o corpo bonito, veja bem, ele é inteligentíssimo também (e isso me conquistou). Então ele ganhou meu respeito e meu corpo. Hehehehe. E vou dizer pra vocês, meninas. Quando você está no rala & rola com um garoto gostoso e passa a mão no tanquinho dele e sente aquela METAMERIA sob seus dedos… É de arrepiar. É MUITO gostoso. Além do cara ter força e mais habilidade pra conseguir te segurar em qualquer posição que vocês queiram, ele não vai cansar facilmente. Dá pra fazer de TUDO sem precisar parar por meia hora. Afinal, quando se está com tesão, esse negócio de “peraí que eu tô cansado” não rola, né?

     

    3. Brinquedos

     

    Brinquedo

     

    Não é todo mundo que aceita usar algum brinquedinho na hora H. Geralmente é por vergonha, mas também tem aquele cara que diz que se garante e não precisa de objeto nenhum pra fazer a mulher gozar. Pessoas, por favor, desencanem. A questão não é simplesmente chegar ao orgasmo. Brinquedos excitam e distraem. É realmente excitante prender as mãos de uma pessoa na cama e poder fazer com o corpo dela tudo o que você quiser. Ver que a pessoa está morrendo de prazer e ela desesperadamente tenta te tocar, mas não consegue. Ou o cara te fazer um oral bem gostoso ao mesmo tempo em que penetra um vibrador em você. Gente, isso é demais. Sério, quanto aos brinquedos, se deixem levar pelo prazer que você vai sentir e esqueça a vergonha.

     

    4. Tudo que é proibido é mais gostoso

     

    Proibido

     

    E é mesmo. Dentro do carro (meu favorito) ou no banheiro da universidade. Correr o risco de ser pego, estar naquela tensão… Gente, isso é muito bom. Na hora a pessoa fica com os nervos à flor da pele, o sangue sendo bombeado pro corpo numa velocidade tal qual um leopardo caçando um antílope. O seu cérebro fica ligado, seus ouvidos funcionam melhor, sua percepção aumenta em 80%. Durante o processo, sua adrenalina está a mil, mas quando você chega ao orgasmo, colega… É muito gostoso mesmo. Só não vale desistir. É claro que se você perceber que alguma coisa está errada e o risco de dar alguma merda ser muito grande se alguém pegar vocês, tudo bem, a gente entende. Mas outra coisa é ficar parando a todo segundo e falar “acho que alguém está vindo”. Por favor, né.

     

    É isso, pessoal. Espero que tenham gostado do No Banco de Trás de hoje. E você? Tem algum fetiche? Já realizou? Deixa um comentário ou me manda um e-mail. Vou adorar ler sua história ;)

     

    Quer dizer algo, fazer alguma pergunta e manter o anonimato? Então escreva para [email protected].
    Você pode também tirar sua dúvida pelo twitter (@kiruda), não deixe de me seguir.

Página 1 de 2212345...1020...Última »