TOPO
  • 13/12

    Localizado no topo da Motta Grande, uma colina nos arredores da Calábria, Itália, o novo Museu de Arte Strongoli é o terceiro projeto Coop Himmelb(l)au na Itália. Inserido no programa de reabilitação daquela cidade, o museu não será apenas um centro cultural mas um passo para o desenvolvimento futuro da Calábria como lugar de entretenimento cultural e de lazer, quando estiver concluído em 2018.

     

     

    Para se compreender o conceito que deu origem ao projeto é preciso voltar uns séculos atrás no tempo, concretamente, até à escola de Filosofia de Aristóteles. A inspiração foi a ideia subjacente ao conhecido método aristotélico do “Seeing by Walking”, segundo o qual a troca de ideias, os ensinamentos e pensamentos dos mestres da altura eram transmitidos não dentro da rigidez das quatro paredes da sala de aula mas à medida que professor e aluno passeavam ao ar livre. Acreditava-se que a mente era estimulada pelos movimentos do corpo. Aplicando ao edifício, a ideia foi criar um espaço fluído e contínuo por se entender que também a percepção é estimulada pelas mudanças da luz, do material e do ambiente enquanto nos movemos ao longo de uma sequência de espaços diferenciados. Parece que o que se pretende é desvalorizar o sujeito da visão, afastar a subjetividade humana, autonomizar os objetos e as suas circunstâncias para suscitar a sua interpretação fazendo eco dos estudos sobre o fetichismo visual de Freud. Afinal, as imagens, enquanto projeções mentais ou produções artísticas, são criações produzidas em certos contextos.

     

     

     

     

     

     

     

     

    Fonte: Obvious

    tags:

    Leia também:
  • Comentários

    Veja posts legais de outros blogs