TOPO
  • 14/05

    camisinha

     

    Desde quando surgiram, as camisinhas femininas atraíram a atenção do público por possibilitarem pela primeira vez que os parceiros receptivos – sejam eles homens ou mulheres – possam assumir total controle sobre sua própria proteção. No entanto, o grande tamanho, material incômodo e barulhos esquisitos que foram associados aos modelos lançados inicialmente rapidamente fizeram com que o produto se tornasse bastante impopular.

     

    Por mais que as coisas tenham mudado com o tempo e as camisinhas femininas tenham se tornado as favoritas de alguns casais, o fato é que o estigma ainda permanece – ao menos por até agora. A companhia norte-americana IXu desenvolveu um novo tipo de proteção para mulheres que une toda a proteção dos contraceptivos normais com uma garantia absoluta de prazer durante o sexo.

     

    camisinha

     

    Chamada VA w.o.w., a nova camisinha feminina é um método de proteção integrado com vibradores em miniatura controlados via Bluetooth e implantados em seu anel externo – a parte que não vai pra dentro da vagina durante a hora H. De acordo com representantes da IXu, testes realizados com o produto indicam que a novidade é capaz de garantir que as mulheres atinjam orgasmos durante todas as suas relações sexuais.

     

    Satisfação garantida

     

    Nos testes da VA w.o.w., a IXu contou com 50 casais participantes e descobriu que 70% das mulheres haviam atingido o clímax durante a primeira utilização da camisinha vibratória. Já na segunda vez, o número subiu para 84% e, da quarta tentativa em diante, 100% conseguiram ter orgasmos durante o sexo com o produto. Embora o estudo revele que as taxas de prazer foram altas tanto para homens quanto para mulheres, elas levaram uma ligeira vantagem.

     

    Segundo a fabricante, a VA w.o.w. deve se tornar uma camisinha que as pessoas vão preferir usar – até mais do que simplesmente fazer sexo sem nada. “Isso serve para mostrar o quão poderosa a tecnologia é”, disse Brian Osterberg, representante da IXu. A ideia é que os usuários também possam se comunicar e controlar o produto por meio de controles remotos ou smartphones, executando funções estimulantes das mais diversas.

     

    camisinha

     

    Os planos da empresa são de levar as camisinhas vibratórias ao mercado europeu dentro de 12 a 18 meses, mas ainda é preciso receber a aprovação de órgãos regulatórios, como o Food and Drugs Administration (FDA). Osterberg está otimista de que a VA w.o.w. vai conseguir levar as proteções femininas para dentro do mercado mainstream de contraceptivos. Resta apenas esperarmos para ver no que vai dar.

     

    Via Megacurioso.

    tags: , , , , ,

    Leia também:
  • Comentários

    Veja posts legais de outros blogs